quinta-feira, dezembro 30, 2010

quinta-feira, dezembro 30, 2010

O tal do ano novo...


Acordou com os barulhos da casa...

Apurou bem os ouvidos e percebeu risos, vozes, um entre e sai de gente e até músicos afinando seus instrumentos e, podia jurar, que também ouvira alguns foguetes explodindo.

Estranhou toda aquela movimentação, pois o Natal já havia passado e, certeza tinha, não era aniversário de ninguém da família.

Não sabia ainda olhar as horas no relógio, mas pelos roncos da sua barriga, já devia ser hora do almoço e fora esquecida, ninguém viera chamá-la.

Saiu do quarto e constatou que a casa estava toda enfeitada; salas, jardins, varanda, com balões brancos e amarelos e velas das mesmas cores.

Tentou perguntar para algum adulto o que estava acontecendo, mas ninguém prestava atenção nela, teve até medo de estar invisível.

Viu Filó, a arrumadeira, carregada de roupas brancas, falando que tinha pouco tempo para passar todas aquelas peças.

A curiosidade era tanta, mas a fome era maior ainda. Resolveu unir a fome com a vontade de saber e foi atrás de Jovina, a cozinheira, que nunca lhe negara um petisco e também não lhe negaria alguma explicação.

E, dito e feito, Jovina, enquanto lhe preparava um belo sanduíche, contou-lhe que toda aquela alegria era pela morte do ano velho e a chegada do ano novo. Ao ouvir isso,  entendeu menos ainda, não sabia bem sobre a morte, mas sabia que quando alguém morria, sumia e todos lamentavam a sua ausência, mas não era isso que estava acontecendo, todos estavam sorrindo e pareciam felizes com a morte do ano velho e, mais uma vez, Jovina explicou-lhe o significado de toda aquela festa.

Ela, então, foi tomada de grandes expectativas pela chegada do tal Ano Novo.

À noite, encantou-se com a festa de cores e sons que os fogos de artifício faziam no azul-escuro do céu e, ansiosa, perguntou à mãe quando o homenageado chegaria. A mãe lhe respondeu que fosse dormir, porque já era muito tarde e que só nas primeiras horas da manhã ele viria , trazendo boas novas para todos.

Mas  nem conseguiu dormir, ficou na janela, esperando pelo Novo Ano e pelas novidades que ele traria..

A luz foi devorando a noite bem devagarzinho e, quando tudo clareou,  olhou em volta e não viu nada de diferente dos dias anteriores. Talvez, pensou, o ano, por ser tão novo, tinha se perdido pelo caminho e por isso se atrasou. Mas as horas foram passando, já ligeiras, e tudo continuou tão igual ao que era antes. E assim passaram-se os dias, os meses, e nada de diferente acontecia de outros anos, que podia se lembrar na sua curta existência...

Porém, seu pai morreu no decorrer daquele ano, cujo início foi tão comemorado, e ela mal completara cinco anos de idade.

Hoje, adulta, só comemora o fim de cada dia, quando o dia acaba bem.


na virada do ano seu único desejo
que mãos geladas acariciassem seu coração
que ardia em chamas

na madrugada as labaredas já lambiam
todo seu corpo

amanheceu cinzas

ao longe ainda se ouviam fogos explodindo
saudando o primeiro dia!


Que todos tenham o que comemorar ao final de cada dia do ano de 2011!



Continue Lendo »

segunda-feira, dezembro 20, 2010

segunda-feira, dezembro 20, 2010

Feliz Natal!



*
Que Deus esteja com você neste Natal
e durante todas as horas do ano que está por vir.

Que haja muita paz,  muito amor no seu coração,
muita esperança no amanhã
e muitas alegrias no seu caminho.

Que seus passos saibam evitar as quedas
e que a sua estrada seja sempre  reta e segura.

E que  todos os seus desejos, 
mesmo os mais simples e insignificantes,
mas sempre tão importantes, 
se realizem.

Saúde e prosperidade!

Feliz Natal !
Feliz 2011!

Que felizes sejam todos os seus dias!
Continue Lendo »

domingo, novembro 28, 2010

domingo, novembro 28, 2010

Tu

de repente não mais o corpo do outro
 era o teu corpo  moreno
  estampado nos meus olhos
 tatuado nos meus sentidos

 assim os meus sonhos vadiaram
 e foram  em busca de ti

  pois eu já nem sei a quem mais
 desejar
 nem sei  em que mais
 hei de pensar

 o que me dirá o teu corpo
 quando eu, enfim,
 o puder beijar,  dominar
 e  possuir?
Continue Lendo »

segunda-feira, novembro 15, 2010

segunda-feira, novembro 15, 2010

O tempo não cura

*Imagem: tela de  Francine Van Hove*


sou assim,  não tenho cura; as lembranças sempre  me atravessam e me dilaceram.

faz tanto tempo e eu nunca me esqueci...

foi na última hora de uma  madrugada de chuva e vento; eu o segurava  forte junto ao  peito e meu coração,  já sem rumo,  chorava tão alto, que ecoava naquele outro corpo, onde nada mais pulsava, onde só o silêncio imperava.

não tinha mais forças, não  sabia como lutar contra a determinação da ausência e me deixei ali ficar, estática, com a minha perda tatuada na alma.

não sei quem o tirou dali, quem o levou de mim, deixando este eterno  vazio  entre os  meus braços.

só sei que, desde então, eu nunca mais sorri por dentro.


(mas minto que sou feliz e minto tanto e  com tanta  veracidade, que até eu mesma, de vez em quando,  consigo acreditar  nessa tal  felicidade,  inventada só  da boca pra fora).


Continue Lendo »

domingo, outubro 31, 2010

domingo, outubro 31, 2010

Explode Coração!


Dilma mineira
Dima guerreira
Dilma
a primeira mulher eleita
Presidente do Brasil!
alívio e emoção
explode coração!

Continue Lendo »

quarta-feira, outubro 27, 2010

quarta-feira, outubro 27, 2010

Parabéns Presidente Lula!


”Por mais que matem os sonhos,
os sonhos ninguém anula,
eles caminham no tempo,
levando o nome de LULA”
(Mário Lago em 1989)



Parabéns  Presidente Lula

 por  ter  transformado  o sonho em realidade  e se tornado o melhor Presidente da história da República do Brasil!
por ter transformado o Brasil num país mais justo e mais digno, numa verdadeira Nação!

se antes, a esperança venceu o medo, hoje, graças a Você,  o medo acabou e cada brasileiro vai assumindo a sua voz, a sua identidade política, enfim a sua, tão esperada,  cidadania.

Agradecida Meu Presidente!

Feliz Aniversário!

Luís Inácio Lula da Silva - O CARA!

(nunca antes na história  deste País houve um Presidente tão bem avaliado quanto o Lula,  ainda que essa verdade doa nos 3% de ressentidos, de preconceituosos e invejosos).


sou PT, sou Lula, sou Dilma Presidente, com convicção!
Continue Lendo »

sábado, outubro 16, 2010

sábado, outubro 16, 2010

Pai, afasta de mim esse cálice!

como beber
dessa bebida amarga
enfrentar  tanta mentira
tanta calúnia
tanta força bruta
e partir para a luta
com  a boca amordaçada
e a palavra  presa 
na garganta

não posso mais
acordar calada
 se na calada da noite
eu me dano
quero lançar
um grito desumano
que é uma maneira
de ser escutada

Pai, afasta de mim esse cálice Pai!
afasta de mim esse cálice, Pai!
afasta de mim esse cálice
de vinho sujo de sangue!

(com versos da música "Cálice" de Chico Buarque e Gilberto Gil, em livre adaptação)


sou PT, sou Lula, sou Dilma Presidente, com convicção!
Continue Lendo »

segunda-feira, agosto 16, 2010

segunda-feira, agosto 16, 2010

Um presente em forma de poema

Bela do Horizonte
Benno Assmann


sob a doçura, teus olhos
como a vida
sob a clareza, tua pele
como o dia
escondem-se minas

(nunca mais choveu
sob o céu azul das alterosas
desde que jorraram
destes teus olhos tantas rosas)

o Sol desaba e desvenda
pintando de luz o teu monte
espalhando sangue e luz
por todo teu belo horizonte


* * * * * * * * * * *


Benno Assmann  é um poeta talentoso e sensível.  um homem de sentimentos nobres, sincero, amigo de todas as horas, um ser humano da melhor qualidade.

Meu querido Poeta, obrigada pelo carinho. sua poesia deixou todo o meu  corpo  em festa, fez a minha alma cantar e meu coração dançar, de pura alegria!





Continue Lendo »

sexta-feira, julho 16, 2010

sexta-feira, julho 16, 2010

Seguindo em frente

 Imagem: Brent Lynch


fechou a última mala e olhou em volta; só uma gente calada, escondida nas sombras.  nenhum som, nenhuma palavra. não deveria ter voltado. tola, achou que poderia saciar sua sede de futuro na fonte do passado. porém estava enganada. não bastava querer. então bastava o quê? não sabia responder.

já passava da hora de partir. tinha um caminho a percorrer, um sentido a refazer. uma esperança nova no ar. quanto tempo vai durar? não tinha resposta.

sentia milhões de coisas e coisa nenhuma. sentia por tudo e por nada. sentia uma coisa abafada, nem de mágoa, nem de saudade. ficaria alguma ferida aberta? não tinha certeza...

desta vez não haveria despedidas e nem lágrimas. talvez um ou outro lamento, só pelo hábito e não por sentimento...

seguiria seu destino sem pressa por não ter aonde chegar. abriria aquela porta e iria embora, mesmo sem saber se era vida ou morte que a esperava lá fora. mas saber pra quê? quem se importa? não sabia dizer...



Continue Lendo »

quarta-feira, julho 07, 2010

quarta-feira, julho 07, 2010

Dúvida



o amor que me juraste

foi o amor que te jurei

foste tu que me enganaste

ou fui eu que te enganei?

Continue Lendo »

domingo, julho 04, 2010

domingo, julho 04, 2010

porque às vezes é preciso mudar o rumo da prosa...



E porque estou indignada , resolvi falar sobre política e sua propaganda enganosa.

No útimo programa do PSDB, exibido pelas emissoras de rádio e TV, o locutor repetiu inúmeras vezes:

Foi o Serra que criou o maior patrimônio dos trabalhadores brasileiros, o FAT, Fundo de Amparo ao Trabalhador. Ele criou também o Seguro desemprego”.

O próprio candidato se atribui a autoria da criação do FAT e do Seguro Desemprego:

“Fui o autor da emenda à Constituição brasileira que instituiu o que veio a ser o Fundo de Amparo ao Trabalhador e graças ao FAT, também, tirei o Seguro Desemprego do papel e dei a ele a amplitude que tem hoje”, repete, exaustivamente, o tucano nas entrevistas e palestras que concede pelo Brasil afora.

Porém, fato é que o Seguro Desemprego foi criado pelo decreto presidencial nº 2.283, de 27 de fevereiro de 1986, assinado pelo então presidente José Sarney e começou a ser pago, imediatamente, após a assinatura do decreto presidencial. Na época, o Serra não atuava como parlamentar, pois era o secretário de Economia e Planejamento do governador de São Paulo, Franco Montoro.

O FAT foi criado pelo Projeto de Lei nº 991, de 1988, de autoria do deputado Jorge Uequed (PMDB-RS).

Em outra propaganda o locutor anuncia:

“Ele cuidou das mulheres. Protegeu os idosos. Lutou pelos os trabalhadores. Deu força para os jovens. Ajudou nos momentos difíceis. Amparou as mães e as crianças. Socorreu os necessitados. Um governante sensível, trabalhador, que faz as coisas acontecerem. José Serra. Quem tem história faz a diferença".

Ainda que não tenha sido explicitado como ele - O Serra - fez tudo isso e onde está escrita essa sua história, confesso que emocionei-me com tamanha competência e altruísmo e resolvi dar a minha humilde colaboração a tão honesta campanha e antecipo aqui como vai ser o próximo programa gratuito do PSDB-Serra, produzido e assinado pela emissora de maior credibilidade no Brasil:

Serra aparece cercado por anjos e uma voz, em “off”, fala emocionada:

No início, Serra criou o céu e a terra.
Ao Primeiro dia, separou as luzes das trevas.
Ao Segundo dia, criou o firmamento dando-lhe o nome de céu.
Ao Terceiro dia, fez a terra germinar e criou as plantas e os seus frutos.
Ao Quarto dia, colocou no céu o sol, a lua e as estrelas.
Ao Quinto dia, povoou as águas de peixes e os céus de pássaros.
Ao Sexto dia, povoou a terra de animais de todas as espécies e criou o homem, não à sua imagem e semelhança, pois Ele é único e inigualável.

No sétimo dia poderia ter descansado, mas não descansou, criou os políticos, o PSDB e a candidato se lançou e, desde então, tenta, em vão, ser o presidente da Nação.

Mas você pode mudar isso, para suceder “O CARA”, vote no “O CARA DE PAU”!!!

Fim do programa!

Serra mente que nem sente e tem gente que acredita!

Por hoje é só.

( sou petista, sou Lula e voto Dilma, com convicção!)

Continue Lendo »

sábado, junho 26, 2010

sábado, junho 26, 2010

Se eu pudesse...

Tela de Kátia Almeida


penso em ti todo o tempo
e te busco com a memória do desejo

olho-te daqui com olhos de ver ao longe
e te quero com coração de sentir de perto
olho-te com o meu silêncio
quando queria  te ouvir com gemidos de prazer

imperiosa necessidade de tocar-te de possuir-te
e nunca mais te deixar

ah se eu pudesse
dar um salto no vazio
e segurar-me no teu colo no teu corpo
 tatuar-me inteira em ti

ah se eu pudesse
sentir agora o teu calor de sempre verão
molhar-me nas tuas chuvas
transpirar com o teu suor

 ah se eu pudesse acariciar-te amor
eu não seria  este  frio  inverno
que sou

Continue Lendo »

domingo, junho 20, 2010

domingo, junho 20, 2010

(In)fidelidade


não importa se é outra
a boca que me beija
é sempre  a tua língua
que se enrosca com a minha

não importa se é outro
o corpo que me cobre
que me invade
(ou que recebo )
é sempre o teu gozo
(que me lambuza)
que bebo
e sinto o gosto

Continue Lendo »

sábado, junho 05, 2010

sábado, junho 05, 2010

Sei lá...


talvez
porque a saudade
me fez lembrar-te
(antes de dormir)

talvez
porque ainda estejas
por demais presente
para seres esquecido

sei lá porquê

só sei que acordei
no meio da madrugada
salivante de desejo
de beijar a tua marca
(aquela mesma)
que fica ali
(bem do lado esquerdo)
onde a vida mais pulsa
em ti.

Continue Lendo »

domingo, maio 16, 2010

domingo, maio 16, 2010

Melancolia

(na  palavra já não cabe a  saudade, nem no seu silêncio a minha dor)

tecendo esperas como Penépole
resto  aqui
onde meus versos sussurrados
só ecoam
 na solidão deste espaço


longe de ti
nada me atravessa
nada mais me invade

não há olhos que me encantem
não há braços que me acolham
não há bocas que me beijem
nem corpos que me caibam

não há amor que me aqueça
nem esperança que me sustente
não há vida que me desperte
nem morte que me liberte

longe de ti não sou
resto somente...

dia pós noite
noite pós dia

Continue Lendo »

domingo, maio 02, 2010

domingo, maio 02, 2010

Meia-volta - volta e meia



quando foi embora, firmou os pés no chão e determinou-se a andar sempre em frente, sem olhar para trás, sem escolher os caminhos retos ou os tortos, pois só o que importava era seguir viagem sem rumo certo, perder os sentidos, perder os ouvidos, ficar entre os vivos, se perder por ai, mesmo que o destino estivesse obscuro e encoberto por névoas intransponíveis...

acreditava que nada poderia fazê-la retroceder, estava resolvida, pois de suave e doce tinha se tornado teimosa e arredia, porém não contava com aquela súbita dor que atravessou o vermelho do seu peito, uma dor causada pelo peso das coisas que, há tempos, ia aprisionando dentro dele.

precisava esvaziar a memória, exorcizar as imagens que seus olhos se negavam a lembrar, mas que ficaram cravadas na sua retina, e que a feriam com a crueldade de famintos escorpiões escondidos nas frestas das tralhas enferrujadas esquecidas nos fundos de velhos quintais.

foi então que se lembrou daquele lugar onde costumava abrir seu coração para deixar jorrar suas emoções, suas aflições, suas alegrias, seus amores e resolveu voltar, pois precisava falar, para que seus pulmões pudessem, novamente, respirar.

a saudade do amigo, o Poeta, que certa noite, já velho e cansado das mazelas desta vida, despiu-se do corpo que o limitava e atravessou para o “outro lado do caminho”, não necessariamente morto, mas irremediavelmente livre;

o céu que se abriu e derramou  todas as suas águas sobre aquela montanha que se esvaiu em sangue e tingiu de rubro o mais belo Rio

(... e mulheres, homens , crianças - quantos? - , tornados pedra, lama, lixo e sobrevoados por abutres salivantes);

a infância ultrajada pela  maldade  dos muitos que se dizem os arautos de Deus;

a ganância que queima, arde e mata na floresta indefesa.

sobre tudo isso e muito mais queria falar.. .

mas quando abriu a porta, surpreendeu-se com tanto abandono, com tanto vazio, só ouvia os ruídos dos seus próprios passos, não havia braços para lhe dar um abraço, não havia rostos nem bocas para recebê-la com largos sorrisos...

só o silêncio, o silêncio, o silêncio...

e ela, perdida no meio do nada, não achou nenhum som que pudesse dar voz as suas palavras e quis, outra vez, fugir...

(pois só o que importava era perder os sentidos, perder os ouvidos, ficar entre os vivos, se perder por aí...)

 
Continue Lendo »

quinta-feira, março 25, 2010

quinta-feira, março 25, 2010

Parabéns Galo - Clube Atlético Mineiro


Amor maior não há, na alegria e na tristeza, nas vitórias e nas derrotas, faça sol ou faça chuva, o atleticano veste sua camisa, pega sua bandeira e canta pela cidade o hino e a  sua paixão pelo Galo!
Continue Lendo »