quarta-feira, setembro 03, 2008

quarta-feira, setembro 03, 2008

Noite Vazia

em noites vazias,

(longas como a demora de bocas a espera do beijo)

só um som me ecoa

:o do amor que não ousa pronunciar o nome.

em noites assim,

de desejos sentidos e calados,

(de saudade esquartejada, de abraços amputados)

minhas letras se despem e

(nuas de poesia, de versos, de inspiração)

me amarram, me amordaçam e me emudecem.


Só você meu amor,

com suas palavras,

ora ternas, ora canalhas,

pode me abrir o peito

e me resgatar

de dentro de mim!..





(“O amor que não ousa dizer o nome” é uma frase de Oscar Wilde)