segunda-feira, agosto 25, 2008

segunda-feira, agosto 25, 2008

Se a vida fala a boca cala!

minhas desculpas pela ausência,
fui engolida pelo tempo,
me perdi nas minhas horas.
quando me lembrei de mim,
já lá se ia uma semana inteira,
mergulhada num silêncio abissal,
sem versos, sem encontros, sem poesia;
sem som que pudesse dar voz
às minhas palavras.

apenas a vida dura, nua, crua, assustadoramente real,
se fazia ouvir...

(dividida entre dois espaços paralelos
:um negro e o outro amarelo)

o que a boca não fala,
vaza pelos meus olhos,
por todas os meus poros
- esta paixão por ti -
avassaladora, desmedida,
que me invade e me cala;
minha medida sou eu:
- inteira e intensa -
 braços abertos,
corpo, alma, coração,
sempre e apenas a tua espera!..