quarta-feira, junho 11, 2008

quarta-feira, junho 11, 2008

Com que sobras...

Alheia ao que me cerca,
ao que é fato, ao que é mentira,
estou dispersa, solta, só.
é inútil procurar por mim,
não consigo me encontrar.
não sei mais quem sou,
onde me perco, onde me acho.
mesmo distantes,
teus olhos ainda vejo,
me espreitando com desejo.
se mal me basto
para matar minha própria fome,
com que sobras vou alimentar
estes teus lábios salivantes?!