quarta-feira, março 19, 2008

quarta-feira, março 19, 2008

Paixão, Jesus & Maria


Nestes dias quando relembramos a paixão de Cristo, muitos se esquecem que dor maior foi a de Maria, A Escolhida, para ser mãe Daquele que escolheu se deixar crucificar para nos redimir e salvar.

Jesus não somente se submeteu desejosamente ao plano de seu Pai (“Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua” Lucas 22.42); ele também o abraçou e prosseguiu por sua própria autoridade divina.

Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida para tornar a tomá-la. Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar, e poder para tornar a tomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai” (João 10.17-18).

Ele escolheu morrer. Seu Pai ordenou. Ele aceitou. Um ordenou todas as coisas, o outro obedeceu. A autoridade estava nas mãos de Deus. E estava nas mãos de Jesus. Porque Jesus é Deus.

Mas Maria, pobre Maria, não teve alternativa e só quem, como ela, segurou nos braços um filho morto, sabe o tamanho dessa dor, dos espinhos que fizeram sangrar seu coração.

Que seja feita a vontade do Pai, sempre, mesmo que não consigamos entendê-la, há de ter alguma explicação e só nos cabe aceitá-la, mesmo chorando todas as lágrimas.
Amém!