sábado, janeiro 26, 2008

sábado, janeiro 26, 2008

A Ré

Por toda noite
esteve sentada no banco dos réus.
As acusações contra ela eram muitas
e cravavam em sua alma como espinhos.
Não entendia porque estava sendo julgada
e nem conseguia se lembrar
de quando cometera
todos aqueles crimes.
Ao final seu acusador perguntou
o que teria a dizer em sua defesa;
olhou-o com seus olhos de chuva
e disse apenas:
- Te amo!
Não conseguiu absolvição
e foi condenada à liberdade.
Só lhe resta cumprir sua pena.