sexta-feira, janeiro 18, 2008

sexta-feira, janeiro 18, 2008

O Violinista e a Bailarina

 
Arthur e Leila conheceram-se no hospício...

Arthur um grande violinista, acostumado a se apresentar em vários países, sempre com teatro cheio e aplaudido ao som de “bravo”.

Em uma de suas apresentações na Suécia, resolveu esquiar, mas acidentou-se e quebrou os dedos da sua mão direita. A conclusão dos médicos foi terrível, não tinha sido bem cuidado, sua mão ficou aleijada, não tinha mais mobilidade e estava incapacitado para executar a sua arte.

Arthur perdeu o gosto pela vida, não tinha mulher, não tinha filhos, seu único amor: o violino, sua única paixão: a música. Quis morrer e se jogou pela janela, mas não morreu, bateu a cabeça e perdeu a memória. Desmemoriado não se lembrou que estava aleijado, viu o violino e começou a tocá-lo ainda melhor do que antes. Não falava com as pessoas , já que não as conhecia, e só fazia executar lindas melodias .

Mal não fazia a ninguém, mas começou incomodar a toda gente e resolveram interná-lo no hospício, como louco, até que recuperasse a memória.

Leila sempre foi bailarina, desde pequenininha, mas não se destacava entre as outras, dançava certinho, porém sem nenhum brilho. Um dia foi presenteada, pelo avô, com um par de sapatilhas douradas. O avô lhe disse que eram mágicas e ela acreditou e por acreditar, começou a dançar lindamente. Tornou-se a primeira bailarina da companhia, fez sucesso, correu mundo, mas só dançava com as suas sapatilhas douradas.

Porém, uma camareira desavisada, ao ver aquelas sapatilhas, velhas, rotas, estragadas, no meio de outras novinhas, jogou-as no lixo.

Leila chorou. Sem as suas mágicas sapatilhas era incapaz de dançar, experimentou vários outros pares, mas seus pés se recusavam a sair do chão, pesavam como se chumbo fossem.

Se não mais bailava, não tinha serventia para a Companhia, havia enlouquecido e a internaram no hospício.

E foi lá que tudo aconteceu...

Leila se arrastava pelos corredores do hospital, com a sua tristeza e seus pés de chumbo, até que ouviu o som do violino e seus pés criaram asas, começaram a bailar, a flutuar, ao ritmo da musica, e a levaram até Arthur e seu violino.

Arthur, quando viu a bailarina e seu bailado, de pronto se apaixonou e a sua musica, tocada com nova emoção, mais bonita ficou.

E assim começou uma linda história de amor.

Ele tocando e ela dançando conforme a música...

e os dois loucamente felizes.

(Louco é quem não acredita que os sonhos possam se realizar).