terça-feira, janeiro 22, 2008

terça-feira, janeiro 22, 2008

Catarina, o gato e eu


Tenho quatro bichinhos de estimação; Bibinho - o cãozinho, um casal de canarinhos - Tuiu e Tula e Catarina, minha lagartixa.

Catarina é a caçulinha e apareceu na minha casa ainda filhotinha, minúscula, meio assustada, fugindo da chuva e, sem nenhuma cerimônia, entrou pela janela da sala de música e já foi subindo pela parede, toda serelepe, até que encontrou um quadro e atrás dele se escondeu

Logo me apaixonei pela bichinha, decidi adotá-la e batizá-la com o nome de Catarina. Fizemos até uma reunião, eu, Laura, Tuiu, Tula, Bibinho e resolvemos, de comum acordo, que Catarina, a partir daquele dia, faria parte da família e seria muito amada. E assim tem sido, formamos uma família feliz.

Catarina é esperta, não se mostra para estranhos, fica quietinha atrás do quadro e só aparece quando chego em casa e a chamo cantando assim:

♪Catarina vem cá embaixo

Que uma hora estou aqui

A noite está tão clara

Eu não posso nem dormir♪

Então sai do seu esconderijo e vem comer ração de passarinho (ela é vegetariana). Busco a gaiola dos canarinhos, o Bibinho vem correndo, a Laura se senta no sofá, coloco um CD de música clássica (Catarina tem ótimo gosto musical, adora Mozart, eu já gosto mais de Chopin, mas não temos atrito por conta disso) e ficamos nós seis, ouvindo a melodia. Os canários fazem o coro, Catarina e Bibinho marcam o ritmo com os respectivos rabos. Uma cena perfeita, que me deixa quase plenamente feliz, pois ainda me falta um gato.

Não um gato qualquer, mas um determinado gato, pelo qual me encantei.

O danado do bichano é arisco, apareceu certo dia na minha varanda, se enroscou na minha perna, fez charminho, porém quando fui agarrá-lo, fugiu. Sempre volta, gosta de ser acarinhado, se insinua e depois vai embora.

Tempos estou de olho no gato. Toda tarde fico à espera dele, às vezes vem, outras não. Quando aparece, me olha com olhos pedintes e chego a acreditar que me quer também, mas se faço um movimento mais ousado, o bicho recua, torna a fugir...

e a minha vontade do gato só vai aumentando.

Talvez esse gato já tenha dona. Será?