sexta-feira, dezembro 28, 2007

sexta-feira, dezembro 28, 2007

Pirilampos em noite escura...

Ontem pude presenciar um show de luzes e beleza, eram pirilampos na escuridão da noite...

Nunca duvidei da existência de Deus, mas caso houvesse duvidado, só esse espetáculo, proporcionado por insetos tão minúsculos, já me daria a certeza da Sua existência.

Estava com um grupo de amigos no Mirante, lugar onde se pode avistar toda a minha amada Beagá. Afastei-me do grupo porque queria ficar sozinha, observar as estrelas e imaginar estar mais perto de quem, no momento, ocupa meus pensamentos e um cadinho do meu coração...

A noite estava por demais escura, não se viam estrelas... já estava me sentindo frustrada quando meus olhos foram atraídos por luzinhas mil, piscando e iluminado toda aquela negritude.

Não sei por quanto tempo fiquei ali, extasiada, assistindo aquele fantástico bailado de luzes, cujos bailarinos, desprovidos de encantos à luz do dia, brilhavam tanto no, até então, breu da noite...

Talvez eu seja só uma sonhadora, uma otimista nata, mas saí dali encantada e com a certeza de que vou, sempre, encontrar uma luzinha para iluminar os meus caminhos, nem que seja a de um simples e lindo pirilampo.

(este post é dedicado a uma amiga querida que, assim como os pirilampos, ignora a própria “luz”, luz que encanta e ilumina quem a rodeia).



Festa dos Pirilampos


Era em uma linda noite de lua cheia

e a menina olhava o céu pela janela

o espaço todo claro como candeia

no silêncio, ouviu chamarem por ela


Olhou, olhou, procurou... mas onde?

pois só avistava algumas estrelinhas

como a brincarem de esconde-esconde

eram os pirilampos com suas luzinhas


E naquele lindo jardim todo iluminado

com o espaço enluarado e estrelado

os pirilampos brincando com euforia


para a menina faziam uma grande festa

cantando ofereciam-lhe uma seresta

amanheceu o dia com uma doce alegria


(Sueli do Espirito Santo)